Prêmio Ratzinger 2019 ao filósofo canadense Taylor e ao teólogo africano padre Béré

Prêmio Ratzinger 2019 ao filósofo canadense Taylor e ao teólogo africano padre Béré

Escrito em 01/10/2019
imprensa

cq5dam-thumbnail-cropped-750-422

Com o “Prêmio Ratzinger”, o prêmio mais importante da Fundação Vaticana J. Ratzinger – Bento XVI, nesta 9º edição “desejou-se privilegiar a filosofia na sua reflexão sobre a fé no mundo contemporâneo” e “colocar em evidência a teologia africana, com a sua missão importantíssima para a inculturação do Evangelho e a evangelização no continente africano”. São palavras do padre Federico Lombardi, presidente do Conselho de administração da Fundação que nasceu em 2010 para promover estudos e publicações sobre a obra e o pensamento do Papa emérito. Tais motivações levaram a premiar o filósofo canadense Charles Margrave Taylor e o teólogo africano Paul Béré. Os dois estudiosos receberão o prêmio das mãos do Papa Francisco em 9 de novembro deste ano.

Charles Taylor, o filósofo que estudou a secularização

Nascido em Montréal em 1931, Taylor estudou primeiro na McGill University canadense e depois na Inglaterra na Universidade de Oxford onde obteve o doutorado em filosofia. Além da história da filosofia dedicou-se à filosofia política e ciências sociais. As suas contribuições mais reconhecidas referem-se à área do comunitarismo, do cosmopolitismo e das relações entre religião e modernidade, em particular a temática da secularização, da qual é considerado um dos estudiosos mais importantes. Entre as suas obras mais conhecidas “Sources of the Self” (1989), “A Secular Age” (2007) e “The Language Animal” (2016).

Paul Béré, o teólogo especialista em comunicação da Palavra

Proveniente de Burkina Faso, mas nascido em Costa do Marfim em 1966, Paul Béré entrou na Companhia de Jesus em 1990 e completou seus estudos com o doutorado no Instituto Bíblico de Roma. Desde 2007 leciona Antigo Testamento e línguas bíblicas no Bíblico e no Instituto Teológico dos jesuítas em Abidjan (Costa do Marfim) e realizou importantes projetos pelo desenvolvimento da teologia na África. Colaborou como especialista em vários Sínodos dos Bispos, como consultor na Secretaria geral do Sínodo. Desde 2018 é membro da AICIC, Comissão Internacional para o diálogo com a Igreja anglicana e de várias associações de teólogos.

Via Vatican News